O que são emprestimos

Antes de passarmos a facultar informações sobre emprestimos particulares, iremos fazer uma pequena introdução aos emprestimos em geral de forma a que o leitor possa ficar familiarizado com o tema e com alguns termos e conceitos do mundo dos emprestimos.

A definição comummente utilizada para definir emprestimos é, como podem ver na definição da wikipédia, "tipos de divida".
Para existir um emprestimo tem que existir quem necessita do dinheiro e quem o empresta e depois de firmado o contrato de emprestimo estes passam a apelidar-se de devedor e credor, respectivamente. O devedor é quem pediu o emprestimo, e o credor é quem emprestou o dinheiro.

O devedor é aquele que arrecadou um emprestimo de um credor, ou seja, aquele que pediu dinheiro emprestado. Este dinheiro pode ser emprestado na sua totalidade ou em tranches. Por exemplo, um particular que necessite de dinheiro para comprar uma casa que já está pronta, pode receber o emprestimo na totalidade para a pagar ao construtor, ou então pode receber em tranches no caso de, por exemplo, estar a contruir a casa. Neste caso, o devedor, pode pedir o dinheiro em tranches, de acordo com as necessidades e enquanto a casa vai sendo construida.
Por sua vez, o emprestimo, tenha sido ele pedido na totalidade ou em tranches, terá que ser devolvido na totalidade, normalmente em forma de prestações mensais, a que acresce a taxa de juros. Esta taxa, é o lucro das instituições financeiras ou dos particulares que concedem os emprestimos e varia consoante o tipo de emprestimo, o prazo de pagamento, o cliente, etc.


”emprestimos-particulares”

O credor é aquele que concede os emprestimos, sejam eles emprestimos particulares ou empresariais. Normalmente, os credores são instituições financeiras (bancos) que operam neste competitivo mercado, e a sua liquidez para conceder emprestimos, é em grande parte obtida a partir dos depósitos que os cidadãos fazem. Esta captação de depósitos é conseguida porque em grande parte dos casos os bancos oferecem vantagens ao nível dos rendimentos.

Resumindo, podemos verificar o porquê de este ser um negócio extremamente lucrativo. Isto deve-se ao faco de ser um negócio que beneficia em grande escala os dois envolvidos no processo: o devedor e o credor.
O devedor, seja ele uma pessoa ou uma empresa, sai beneficiado porque consegue ter acesso a dinheiro que está a precisar. Seja para comprar uma casa, para compra um carro, para viajar, ou até mesmo para montar um negócio, existem varios tipos de emprestimos adequados a cada tipo de situação e onde o acesso a este bem como as condições de pagamento variam.
O credor é beneficiado porque obtem lucro com a taxa de juro que acima referimos, já que as taxas de juro praticadas nos contratos de emprestimo são sempre superiores aos rendimentos oferecidos nos depósitos realizados na banca que lhes permitem obter a liquidez para gerar os emprestimos.

Se quiser aprofundar um pouco mais sobre estes conceitos, bem como outros sobre o mundo dos emprestimos, sugerimos que visite o glossário do Banco de Portugal. Lá encontrará certamente as definições de todos os conceitos ligados a este mundo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Duvidas? Pergunte-nos.