Como escolher o seu empréstimo para obras

Ao fim de alguns anos, todas as casas precisam de remodelações. No entanto, o custo de fazer reparações em casa pode ser tão avultado que muitas famílias têm dificuldade em pagar as obras a pronto.
Se este é o seu caso, pondere pedir um empréstimo para obras: esta pode ser uma solução para ter mais conforto e qualidade dentro da sua casa com um esforço financeiro bem mais flexível!

O que é um empréstimo para obras?


Os créditos deste género são habitualmente designados de “crédito habitação - obras”, “crédito para obras” ou “crédito hipotecário”. Geralmente permitem o financiamento até aos 50.000 euros, valor que pode ser pago em períodos de tempo que variam de 1 até 40 anos. Em Portugal, os principais credores destes empréstimos são a Caixa Geral de Depósitos, o Deutsche Bank, a Cetelem e o Crédibom.

Se tiver um cartão de crédito poderá facilitar.

As vantagens...

      para quem tem crédito ​habitação: ​se contraiu um crédito habitação para comprar a casa que quer remodelar, informe-se junto do seu banco (no qual tem o crédito). Muitas vezes é possível pedir um crédito adicional para concluir ou fazer obras, o que lhe poupa uma nova comissão de abertura ou gastos com a avaliação do imóvel.

      adapta-se ao​ longo das obras. Nem sempre conseguimos saber o preço exato das obras antes destas estarem concluídas. Podem haver imprevistos, especialmente em obras maiores e complicadas, pode também querer alterar o material que escolheu ou pode decidir aproveitar para remodelar mais alguma divisão ou zona da casa. Normalmente, os empréstimos para obras podem ser adaptados até a obra estar concluída.

As desvantagens...

      custos totais do crédito. Muitas vezes, os custos totais de fazer um empréstimo para obras são superiores ao de um crédito pessoal. Por isso, se não se tratar de um valor avultado e souber exactamente o valor que vai precisar para concluir as obras, pedir um crédito para obras pode não compensar. Compare bem o custos!
      contratar um seguro. Alguns bancos poderão pedir-lhe que faça um seguro de vida ou um seguro multiriscos para contrair um crédito. Se não tem um seguro, isto representa um custo adicional. Terá que subscrever ao seguro pelo menos até o empréstimo ficar pago na totalidade e, em muitas seguradoras, o valor aumenta a cada ano (quanto mais velhos, maior o risco de morte).

Como comparar os vários créditos que existem?

Visite o site "Compara já" para comparar os melhores créditos.

Antes de decidir contrair um crédito para as obras, compare os custos totais dos créditos e as condições de empréstimo em vários bancos. O custo total designa-se por TAEG (Taxa Anual Efectiva Global) e inclui o empréstimo, juros, imposto, comissões e seguros.


-->
Vale a pena simular os custos com vários prazos (1 ano, 2 anos, 5 anos), porque o aumento anual dos juros pode variar de banco para banco. Sempre que lhe for possível, evite os créditos com prazos mais longos. Quanto mais longo o prazo, maior será o custo total e, no caso das obras, não se justifica. Provavelmente, não fará usufruto das obras durante mais de 20 anos!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Duvidas? Pergunte-nos.